cotidianodescobertas

Como a gente tá pro dia

posted by Juliana Garcia agosto 14, 2016 0 comments
como-a-gente-ta-pro-dia

Tem dias que amanhecem e a gente nem sabe por onde veio até chegar ali. Um tropeço, sem pegadas, e nova folha já vira no passar do tempo.

E tem dias em que eu acordo o dia. Como se escalasse o horizonte e desse uma sacudida de amor no sol. Acorda, meu bem, já é hora. Coisa linda por acontecer. Aliás, coisa linda que já é. Estou aqui, peito aceso, vida, música boa rolando, fumaça de incenso dançando pela casa. Está tudo aí. Estou aqui, só falta você. Vem, sol. Pode vir.

Vontade de acordar as pessoas que caminham passos sem alma pela avenida. Que olham pro nada segurando em hastes frias nos ônibus ou seus volantes sebosos de sempre. Dizer: olha, olha bem, você está aqui. Existe aqui. Existe chão embaixo, céu em cima e ar de encher os pulmões. A coisa toda não é bem como o dia tá pra gente, é como a gente tá pro dia. Esteja.

E volta e meia tem daqueles dias em que preciso que o sol rasgue a cortina, se esgueire pela fresta e me acorde pro dia: apesar de todos os vazios, lágrima qualquer que provoca o entupir do nariz, falta de rumo e de vontade, ainda tem vida. Lembra. Tem o tal do aqui, tem chão embaixo, tem céu em cima e ar de encher seus pulmões.

Tem você, menina. Tem você.

 

Textos Relacionados